Trabalho 40-42 Versão King James

<< Emprego 39 | Trabalho 40-42 | Salmos 1 >>

40 1 Além disso o Senhor respondeu a Jó e disse: 2 porventura, os que contendem com o todo-Poderoso instruí-lo? aquele que reprovar a Deus, que atenda. 3 respondeu Jó ao Senhor, e disse: 4 Eis que eu sou vil; que te responderei? Vou pôr a minha mão na minha boca. 5 uma vez falei, mas não responderei; Sim, duas vezes; mas não prosseguirei.As manifestações do poder de Deus, as manifestações do poder de Deus, as manifestações do poder de Deus, responderam então ao Senhor a Jó, do turbilhão, e disseram: 7 agacha os teus lombos agora como um homem: eu te exigirei, e te declararei a mim. 8 queres também anular o meu julgamento? condenais-me, para que sejais virtuosos? 9 tens um braço como Deus? ou podes trovejar com uma voz como ele? 10 inclina-te agora com majestade e excelência, e prepara-te com glória e beleza. 11 Lançai fora a ira da vossa ira; e eis que todo aquele que se orgulha, e o abomina. 12 Olhai para todos os que se ensoberbecem, e baixai-o, e pisai os ímpios no seu lugar. 13 esconde-os no pó, e une os seus rostos em segredo. 14 Então também eu te confessarei que a tua mão direita te pode salvar.15 Eis agora behemote, que eu fiz contigo; Ele come erva como um boi. 16 Eis que a sua força está nos seus lombos, e a sua força está no umbigo do seu ventre. 17 move a sua cauda como um cedro; os nervos das suas pedras estão unidos. 18 os seus ossos são como pedaços fortes de bronze; os seus ossos são como barras de ferro. 19 Ele é o chefe dos caminhos de Deus; aquele que o fez pode fazer a sua espada aproximar-se dele. 20 porque as montanhas lhe dão de comer, onde todos os animais do campo brincam. 21 ele Jaz debaixo das árvores sombrias, no esconderijo da cana, e fens. 22 as árvores sombrias cobrem-no com a sua sombra; os salgueiros do Riacho cercam-no ao redor. 23 Eis que ele bebe um rio, e não se apressa; confia em que pode desembocar o Jordão na sua boca. 24 ele a tira com os seus olhos; o seu nariz piercava por meio de armadilhas.Pode tirar o Leviatã com um gancho? ou a sua língua, com um cordão que desapontaste? 2 podes pôr-lhe um gancho no nariz? ou furar-lhe a mandíbula com um espinho? 3 pedir-te-á muitas súplicas? ele vai dizer-te palavras brandas? 4 fará ele um pacto contigo? tomá-lo-ás por servo para sempre? 5 queres brincar com ele como com um pássaro? ou amarras-o às tuas donzelas? 6 Os companheiros farão dele um banquete? devem separá-lo entre os mercadores? 7 podeis encher-lhe a pele com ferros de barbear? ou a cabeça dele com lanças de peixe? 8 põe a tua mão sobre ele, lembra-te da batalha, não faças mais. 9 Eis que a sua esperança é vã; nem um será lançado ao seu encontro? 10 ninguém é tão feroz que se atreva a despertá-lo; quem, pois, pode estar diante de mim?Quem me impediu de retribuir? tudo o que está debaixo de todo o céu é meu. 12 não esconderei as suas partes, nem o seu poder, nem a sua proporção. 13 Quem pode descobrir o rosto da sua roupa? ou quem pode ir ter com ele com o seu duplo freio? 14 Quem pode abrir as portas do seu rosto? os dentes dele são muito redondos. 15 as suas escamas são o seu orgulho, fechado como se fosse um selo. 16 um está tão próximo do outro, que nenhum ar se pode interpor entre eles. 17 unem-se uns aos outros, e unem-se, para que não se separem. 18 pelos seus sinais resplandece uma luz, e os seus olhos são como as pálpebras da manhã. 19 da sua boca saem lâmpadas incandescentes, e faíscas de fogo saltam. 20 das suas narinas sai fumo, como de um vaso fervente ou caldeirão. 21 a sua respiração acende brasas, e sai da sua boca uma chama. 22 no seu pescoço permanece a força, e a tristeza se transforma em alegria diante dele. 23 Os flocos da sua carne estão unidos; eles são firmes em si mesmos; não podem ser movidos. 24 o seu coração é firme como uma pedra; sim, duro como um pedaço de pedra inferior. 25 quando ele se levanta, os poderosos temem; por causa das quebras, purificam-se a si mesmos. 26 a espada do que está sobre ele não pode segurar; a lança, o dardo, nem o habergeão. 27 ele considera o ferro como palha, e o bronze como madeira podre. 28 a flecha não pode fazê-lo fugir; com ele são transformados em pedras. 29 os dardos são contados como restolho; ri-se do tremor de uma lança. 30 debaixo dele estão pedras afiadas; ele espalha coisas afiadas sobre a lama. 31 faz ferver o abismo como um vaso; faz o mar como um vaso de pomada. 32 Ele faz resplandecer depois dele o caminho, e o mais profundo se levantará. 33 na terra não há como ele, que é feito sem temor. 34 Ele vê todas as coisas altas; é rei sobre todos os filhos da soberba.1 Então Jó respondeu ao Senhor, e disse: 2 eu sei que tu podes fazer tudo, e que nenhum pensamento pode ser retido de TI. 3 Quem é aquele que esconde o conselho sem conhecimento? por isso tenho dito que não entendi; coisas maravilhosas demais para mim, Que Eu não sabia. 4 ouvi, rogo-te, e falarei; eu te pedirei, e te declararei a mim. 5 ouvi de ti pelo ouvido; mas agora o meu olho te vê. 6 pelo que me abomino, e me arrependo em pó e em cinzas.

7 E sucedeu que, depois que o Senhor tinha falado estas palavras a Jó, o Senhor disse a Elifaz, o Temanita, a Minha ira se acendeu contra ti e contra os teus dois amigos, porque não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó. 8 tomai, Pois, sete novilhos e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecer para vós um holocausto; e o meu servo Jó deve orar por vós; porque dele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa estultícia; porque vós não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó. 9 e foi Elifaz, o temanita, e Bildad, o Suita, e Zofar, o naamatita, e fez conforme o Senhor lhes ordenara; o Senhor também aceitou Jó.

a restauração da prosperidade de Jó

10 e o Senhor tornou o cativeiro de Jó, quando ele orou por seus amigos: também o Senhor deu a Jó duas vezes mais do que ele tinha antes. 11 Então vieram ter com ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos os que tinham sido de seu conhecido antes, e comeram com ele pão em sua casa; e a eles se lamentou dele, e o consolaram de todo o mal que o Senhor tinha trazido sobre ele: todo homem também lhe deu uma peça de dinheiro, e cada um era um brinco de ouro. 12 Assim o Senhor abençoou Mais o fim de Jó do que o seu princípio: porque tinha catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil bois e mil jumentos. 13 também teve sete filhos e três filhas. 14 e chamou o nome do primeiro, Jemima, e o nome do segundo, Kezia, e o nome do terceiro, Kerenhapuch. 15 e em toda a terra nenhuma mulher foi achada tão bela como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos. 16 depois disso viveu Jó cento e quarenta anos, e viu seus filhos, e filhos de seus filhos, até quatro gerações. 17 Assim Jó morreu, Velho e cheio de dias.

<< Job 39 | Job 40-42 | Psalm 1 >>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.